sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Jéssica ficou 11 dias internada
Foi confirmada, no final da tarde da última quinta-feira, 28, pela Secretaria de Saúde, a segunda morte causada pelo vírus H1N1, em Catanduva. A primeira morte foi registrada no dia 14, sendo uma mulher de 38 anos, moradora de Tabapuã.
A segunda vítima é a jovem Jéssica Aparecida Manbelli, de 21 anos, moradora de Santa Adélia, que veio a óbito, na última terça-feira, 26, após 11 dias internada, no Hospital São Domingos. A paciente tinha histórico clínico de hipertensão, acompanhado de obesidade.
Segundo a mãe da jovem, Fátima Vilarinho, os primeiros sintomas da gripe na filha, apareceu no dia 13 de janeiro, como uma amigdalite (inflamação na garganta). Após medicada, passou ter febre alta no dia 14, sendo internada em seguida na Santa Casa de Santa Adélia, para receber medicação injetável.
"Nada de melhorar, no dia 16 a tarde ela foi levada para o hospital em Catanduva. Passado alguns dias, quando o médico me disse: 'mãe a Jéssica vai ter que ir para a UTI', ela estava com muita falta de ar e já com a suspeita da gripe", detalhou a mãe.
De acordo com o secretário de saúde de Santa Adélia, Fabrício Franco, o Grupo de Vigilância Epidemiológica, confirmou a presença do vírus no dia 22 de janeiro. Franco ainda ressaltou que cuidados de prevenção a doença estão sendo redobrados e que não há outras notificações do vírus confirmado na cidade.

CASOS 
Até a última terça-feira, 26, a secretaria de Saúde de Catanduva registrou 11 casos notificados da doença; destes, quatro foram confirmados positivos e sete são suspeitos.
Na região, segundo apurado, até há três notificações,em Santa Adélia, três em Itajobi, duas em Pindorama, e uma em Tabapuã e Catiguá. Destas, quatro foram confirmadas. 

ATENÇÃO 
Os sintomas da Influenza A são muito parecidos com os da gripe comum, por isso é necessário ficar atento a febre acima de 38ºC, tosse e dificuldade respiratória, acompanhada ou não de dor de garganta, ou de manifestações gastrointestinais, dor de cabeça, dores musculares, nas articulações e tosse. A febre é um dos sintomas mais recorrentes, presente em 92% dos casos. No surgimento de qualquer sintoma, recomenda-se procurar o médico de confiança ou a unidade de saúde mais próxima.