sábado, 20 de fevereiro de 2016


A ex-ginasta Daiane dos Santos 
esteve neste sábado,20, na unidade Sesc Catanduva compartilhando sua vasta experiência no esporte olímpico e artístico do mundo da Ginástica. Daiane que começou o esporte aos 11 anos de idade , chegou a participar de três Olimpíadas (Atenas, Pequim, e Londres). Foi ainda a primeira ginasta do Brasil, a conquistar o Mundial,com o Duplo Twist Carpado, nomeado "Dos Santos", antes de se aposentar no ano de 2012. 
Atualmente a atleta faz parte da equipe de comentaristas da rede Globo, que irão cobrir as Olimpíadas no Rio de Janeiro, ao mesmo tempo se dedica ao seu projeto "Brasileirinhos"- projeto voltado à crianças e jovens de comunidade carente, e que visa levar a ginástica para aqueles que ainda não tem vivência com o esporte.
No evento, Daiane demonstrou para o público passos básicos de alongamento e exercícios da ginástica. Os participantes foram divididos em grupos, onde cada um praticou uma série das atividades, sempre com auxílio de Daiane. 
Após a prática de exercícios, a ex-atleta realizou um breve bate-papo com o público, falando sobre sua carreira e atual momento em que esta vivendo. 
" A ginástica é um esporte que eu amo, é a minha paixão, hoje eu não sou mais atleta. Hoje trabalho com crianças e jovens, no projeto Brasileirinhos, com o propósito de que as pessoas conheçam a ginástica como vocês estão vivenciando hoje", apresentou. 
Dentre a curiosidade dos presentes, Daiane ainda comentou como surgiu a preparação da coreografia  que emocionou o país e estrangeiros, o  solo do "Brasileirinho". "No caso do Brasileirinho foi o pai de uma coordenadora nossa que indicou pra gente. Foi muito bacana, porque é uma música super brasileira e conhecida não só aqui no Brasil, como lá fora, em outros países. Tivemos cuidado em não sambar como uma escola de samba, sendo uma samba mais artístico, e naquela época cada menina com sua estrela, e a minha acabou brilhando mais". 
Ainda no bate papo foi impossível não falar, do novo estilo criado por ela, o movimento batizado "Dos Santos" - Duplo Twist Carpado, que com maior grau de dificuldade lhe garantiu a medalha de ouro no Mundial na Califórnia, em 2003.
"Tudo começou quando para gente treinar nosso condicionamento físico, a gente começou a treinar o Twist carpado, e ele ficou tão bom que entrou para série, só que até então eu não sabia que ele não existia na competição,mas o técnico sabia, e não comentou. Fomos para o Mundial e um dia antes da competição, ele me falou que tinha que inscrever o elemento novo, para apresentar na competição. Depois, foi elaborado o twist duplo". 
Daiane ainda falou sobre a visão de deixar ser competidora, para se tornar espectadora e assistir as Olimpíadas. 
"É uma experiência nova, claro que sinto muito saudade do esporte, dá vontade de estar junto, Mas, eu também sei que estar na Seleção tem que ter dedicação em tempo integral mesmo. A gente treina de 8 a 9 horas por dia, de segunda a sábado, sem falar que dependendo a competição, treina ás vezes no domingo também.Hoje sou gestora no Brasileirinho, visito pelo menos uma semana a unidade, e o que eu jamais imaginava fazer, estou adorando, que é  ser comentarista deste esporte. Estaremos comentando as Olimpíadas, assistam na Globo ", enfatizou. 


Fotos: Fique Por Dentro Já/ Patrícia Santos