terça-feira, 2 de agosto de 2016

Por Marcelo Ono – Alta Tensão

" Fui rendido e ficavam com arma na minha cabeça"

Segundo o boletim de ocorrência, a Polícia Militar apresentou na delegacia de Santa Adélia as vítimas A.Z.S., de 74 anos, sua esposa R.R., de 41 anos, o funcionário B.W.S., de 39 anos e o padre Osvaldo.

Consta na ocorrência que por volta das 18 horas, o comerciante A.Z.S. conduzia o seu veículo Chevrolet/S10, branca, placas de Catanduva acompanhado de sua esposa e um funcionário. Depois de sair do sitio de sua propriedade na cidade de Santa Adélia, o motorista transitava pela estrada municipal que liga a rodovia Washington Luís ao Distrito de Roberto, conhecida como “Estrada do Picadão”, quando após cerca de 500 metros, foi fechado por um veículo preto, ocupado por dois homens armados.

Os suspeitos foram até a caminhonete e obrigaram as vítimas a desembarcar, levando-as a pé até uma plantação de cana-de-açúcar. Naquele local, as vítimas permaneceram em poder os criminosos por aproximadamente quatro horas e a todo o momento pediam dinheiro e afirmavam que queriam o dinheiro do padre Osvaldo de Catanduva.

Depois de algum tempo os suspeitos obrigaram A.Z.S. fazer contato com o padre e marcar um encontro. Por volta das 23h30, à vítima conseguiu contatar o padre e a pedido dos bandidos, solicitou que abençoasse uma sobrinha naquele momento, ficando combinado que o comerciante iria até a Casa Paroquial localizada na rua São Leopoldo, no bairro Bom Pastor, em Catanduva.

Os criminosos amarraram as vítimas A.Z.S. e B.W.S. com ‘enforca gato’ e as deixaram no meio da plantação de cana, enquanto que a mulher R.R. foi levada para a caminhonete.

Com o veículo do comerciante, os dois bandidos e a mulher foram para Catanduva no sentido da Casa Paroquial, mas não encontraram ninguém no local. Após cerca de cinco minutos, o padre Osvaldo chegou ao imóvel sozinho.

Ao avistar o padre, um dos bandidos desembarcou da caminhonete, rendeu a vítima e anunciou o assalto, mostrando uma arma de fogo em sua cintura. No interior do imóvel, os criminosos colocaram o padre e a mulher em um quarto, enquanto reviravam os objetos e mobília da casa a procura de dinheiro.

Durante a ação criminosa, uma mulher moradora de rua, começou a chamar pelo nome do padre pelo lado externo da casa, sendo abordada e obrigada a ficar com o padre e a outra vítima no quarto. Alguns minutos depois os bandidos deixaram o imóvel e fugiram com a caminhonete, deixando as vítimas trancadas.

O padre possuía outra chave do imóvel e conseguiu libertar as mulheres e chamar a polícia. Por outro lado, A.Z.S. e seu funcionário conseguiram se soltar, saíram da plantação de cana e pediram socorro.

Posteriormente os policiais apuraram que foi roubado o veículo da vítima A.Z.S. com documentos pessoais, cartões bancários, aparelhos celulares e a quantia de R$ 800, além de R$ 4,5 mil e o celular do padre que estavam na Casa Paroquial.


Na delegacia as vítimas afirmaram que os indivíduos não estavam encapuzados e eram de estatura mediana e usavam cabelos curtos. O caso foi registrado pelo delegado Luciano Peres Barberatto como roubo e será investigado pela Polícia Civil.