quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Nem sempre os  candidatos a vereador mais votados obtêm a vaga


No próximo domingo, 02 de outubro, acontece a votação do primeiro turno das Eleições municipais 2016; o Tribunal Regional Eleitoral reforça, o eleitor deve comparecer a sua seção eleitoral munido de documento oficial com foto. Entre os aceitos estão: a carteira de identidade, de trabalho e de motorista. Além disso, é recomendável que ele leve, ainda, o título de eleitor, para localizar mais facilmente sua seção eleitoral dentro do local de votação.
O horário de votação é das 8 às 17 horas. Na urna eletrônica, o primeiro voto é para vereador e, em seguida, para prefeito e vice-prefeito.

CANDIDATOS A VEREADOR
É importante saber, que diferente do candidato a prefeito, para ser eleito vereador, além de obter votos para si, o candidato depende ainda dos votos que serão dados aos outros candidatos do partido ou da coligação a que pertence, além dos que forem recebidos na legenda.
Ao contrário do cargo majoritário (prefeito), em que o eleito é o mais votado, no caso dos parlamentares a vitória depende do cálculo do quociente eleitoral e partidário.
Assim, mesmo que determinado candidato seja muito bem votado, caso o seu partido/coligação não atinja o quociente eleitoral, ele não obtém a vaga.
Por outro lado, um candidato muito bem votado, o chamado puxador de votos, além de garantir a sua vaga, pode contribuir para o partido/coligação obter mais cadeiras. Em 2012, o quociente eleitoral para vereador foi de 103.843 votos.

Votos brancos e nulos não anulam eleição
Os votos brancos e os nulos não são computados e nem aproveitados na apuração dos votos pela Justiça Eleitoral. O branco é aquele em que o eleitor não manifesta preferência por nenhum dos candidatos (há, na urna, a tecla “branco” para esses casos). Já o voto nulo é quando o eleitor erra ou manifesta sua vontade de anular, digitando na urna eletrônica um número que não seja correspondente a nenhum partido ou candidato.

Fonte: TRE